Hora certa:
 

Colunas

Hábitos saudáveis devem ser prioridade nos projetos pessoais para 2017

Nas trocas de saudações durante as festas de Natal e Ano Novo costumamos desejar prosperidade, paz e SAÚDE. Mas além de desejar, precisamos agir para que tudo isso se realize.
 
No caso da saúde, vale começar questionando se nossos hábitos no dia a dia estão coerentes com essa intenção. Como está, por exemplo, a sua alimentação?
 
Destaco a educação alimentar, como primeiro grande passo nesse caminho. É fundamental entender que devemos ter uma dieta bastante diversificada, sem restrições de ingredientes específicos, pois o mais importante é a variedade de nutrientes e o equilíbrio na quantidade ingerida. Os brasileiros devem sempre se informar bem sobre alimentação, escolhendo fontes seguras e críveis e fazer suas escolhas com pleno entendimento, rumo a uma vida mais saudável.
 
Inúmeros estudos e especialistas renomados comprovam que não existem alimentos bons ou ruins, mas sim uma boa ou má alimentação. Partindo dessa premissa, podemos citar como exemplo o consumo de um dos alimentos mais desejados e polêmicos, os doces.  É certo que não há necessidade de eliminá-los de vez da dieta diária, abrindo mão desse prazer e de um antigo hábito cultural. O mais recomendado é comer doces com moderação, pois o verdadeiro problema é o exagero. Mas quanto é comer com moderação?
 
Em 2015 a OMS – Organização Mundial de Saúde - lançou suas diretrizes para o consumo de açúcar, na qual recomenda que o ingrediente deve representar 10% da ingestão calórica total diária de um indivíduo, o que corresponde a 50 gramas de açúcar ou 12 colheres de chá. Ora, se existe uma quantidade aceitável de ingestão de açúcar, significa que ele não é um vilão, mas sim que deve ser consumido com equilíbrio. Uma boa alimentação significa variedade de nutrientes e, principalmente, conhecer seu ponto de saciedade, pois temos o mau hábito de comer mais do que realmente nosso organismo necessita.
 
É importante saber que os carboidratos têm benefícios, pois consumi-los é a forma mais rápida de fornecer glicose para o corpo e são essenciais para o funcionamento do cérebro, da retina e dos rins. Além disso, alimentos ricos em carboidratos são também importantes fontes de cálcio, fósforo, ferro, cloro, potássio, sódio, magnésio e de vitaminas do complexo B, e ainda auxilia na proliferação das bactérias que compõem a microbiota intestinal e contribuem para a eliminação de bactérias nocivas como a Escherichia coli e o Clostridium.
 
Tão importante quanto a atenção à alimentação, é a prática de atividades físicas regulares. E quando me refiro a esse hábito, não estou falando que as pessoas devam entrar para um time de futebol ou qualquer outro esporte amanhã! Qualquer atividade física regular que chegue a 150 minutos por semana, conforme a recomendação da OMS, já é uma prevenção ou reação contra a epidemia do sedentarismo, uma das principais causas da obesidade. É possível incluir na nossa rotina mais caminhadas ao ir ao trabalho, à escola, ir de bicicleta, subir e descer escadas e assim por diante. Se você não tem tempo para ir à academia, ao clube ou correr no parque, crie um planejamento de atividades adaptadas ao seu cotidiano.
 
E uma mensagem especial para quem tem filhos: é fundamental incentivá-los, desde cedo, a praticar alguma atividade física regularmente, pois além dos inúmeros benefícios à saúde, contribui para o desenvolvimento, ajudando na coordenação motora, raciocínio e no aspecto social.
 
Portanto, desejo um Feliz Ano Novo, com um estilo de vida renovado, hábitos saudáveis e aí sim, SAÚDE para todos!
 
Dr. Hugo Ribeiro é Pediatra especializado em gastroenterologia e nutrologia, professor da Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia, consultor do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde e Fellowship em Nutrologia Infantil pela Universidade de Cornnel em New York.
 












Fechar


SnifBrasil é uma publicação

(11) 5533-5900 – dpm@dpm.srv.br
O conteúdo dos artigos assinados no site e no boletim SnifBrasil é de responsabilidade de cada um dos colaboradores. As opiniões neles impressas não refletem, necessariamente, a posição desta Editora.
Não é permitida a reprodução de textos, total ou parcial sem a expressa autorização da DPM.
Informações adicionais poderão ser solicitadas pelo e-mail editor@snifbrasil.com.br.
Qualquer problema, ou dificuldade de navegação poderá ser atendido pelo serviço de suporte SnifBrasil, pelo e-mail suporte@snifbrasil.com.br

Seu IP: 54.162.136.26 | CCBot/2.0 (http://commoncrawl.org/faq/)