Hora certa:
 

Notícias

Infectologista ressalta a importância da imunização de crianças e jovens em tratamento de câncer

A alta no número de casos de síndrome gripal e de Covid-19, com a nova variante altamente transmissível, a Ômicron, traz luz à importância da imunização de crianças e jovens, principalmente aqueles em tratamento de câncer, que podem desenvolver formas graves da doença. A desinformação e a falta de acesso a atendimento médico são, ainda, alguns obstáculos para alcançar ampla cobertura vacinal. Diante desse cenário, o Hospital do GRAACC, referência no tratamento de casos de alta complexidade de câncer infantojuvenil, ressalta a importância da imunização neste público no combate à Covid-19.

“Estudos recentes em pacientes pediátricos com câncer demonstram a importância e a gravidade da Covid-19 nesse grupo. Aumentar a cobertura vacinal permite que doenças infectocontagiosas não circulem e não se propaguem rapidamente. Por isso, a vacinação se torna indispensável para todos, principalmente em pacientes imunossuprimidos, devido à baixa imunidade”, destaca Dra. Fabianne Carlesse, infectologista pediátrica do Hospital do GRAACC, que completa: “Vacinas são seguras e salvam vidas. Além disso, é importante reforçar que o distanciamento social, uso de máscara e higienização das mãos são medidas preventivas fundamentais”.

Vacinas para pacientes oncológicos

Recomendadas: para pacientes em tratamento quimioterápico, algumas vacinas são recomendadas como a da influenza, contra o vírus da gripe e a vacina contra o pneumococo para prevenção das doenças causadas pela bactéria Streptococcus pneumoniae, que pode causar pneumonia, otite, amigdalite e sinusite, além de trazer complicações ao paciente.

Não recomendadas: vacinas com microrganismos vivos têm o momento certo para serem aplicadas. Normalmente duas semanas antes do início da quimioterapia ou após três a seis meses do término do tratamento, dependendo do quadro clínico do paciente. Vacinas de vírus vivos são: BCG (tuberculose), febre amarela, poliomielite oral (paralisia infantil), rotavírus, varicela e tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola).

 

 












Fechar


SnifBrasil é uma publicação

(11) 5533-5900 – dpm@dpm.srv.br
O conteúdo dos artigos assinados no site e no boletim SnifBrasil é de responsabilidade de cada um dos colaboradores. As opiniões neles impressas não refletem, necessariamente, a posição desta Editora.
Não é permitida a reprodução de textos, total ou parcial sem a expressa autorização da DPM.
Informações adicionais poderão ser solicitadas pelo e-mail editor@snifbrasil.com.br.
Qualquer problema, ou dificuldade de navegação poderá ser atendido pelo serviço de suporte SnifBrasil, pelo e-mail suporte@snifbrasil.com.br

Seu IP: 54.204.73.51 | CCBot/2.0 (https://commoncrawl.org/faq/)