Hora certa:
 

Notícias

Médica alerta sobre nódulos pulmonares como uma das sequelas no pós-recuperação de COVID-19

Cerca de 80% dos pacientes recuperados de COVID-19 sentem ao menos um sintoma persistente - aquele que aparece ou continua depois da infecção - por até quatro meses, depois de se recuperarem da doença. Entre estes sintomas mais comuns, estão fadiga, tosse crônica, dificuldade para respirar, perda de paladar ou olfato, dores de cabeça, depressão, ansiedade e até o agravamento de doenças preexistentes.
 
Entretanto, a cirurgiã torácica Dra. Mariana Canevari, mestranda pela UNICAMP, alerta também para o alto número de achados incidentais de nódulos pulmonares em tomografias de pacientes que sofreram de COVID-19. “Com o COVID-19, tornou-se muito popular a solicitação de tomografias de tórax e, hoje, sabemos que até 7% dos pacientes, acometidos pela doença, apresentam nódulos de pulmão no exame. Na maioria das vezes, a orientação médica é de acompanhamento clínico e repetição do exame após alguns meses, para comparação. Caso não haja mudança de tamanho oue forma, geralmente não são indicados outros exames complementares adicionais. Temos visto que a maioria dos nódulos acaba desaparecendo com o tempo, mas não podemos deixar de acompanhar”, afirma a especialista. Entretanto, a presença de nódulos maiores que um centímetro já pede uma atenção maior.
 
“Esses nódulos têm maior chance de representarem uma doença, inclusive câncer. Portanto, devem ser avaliados por médico especialista, que indicará a melhor forma de investigar a situação, seja por meio da complementação com outros exames de imagem, broncoscopia - que é um tipo de endoscopia dos pulmões - ou até mesmo através de biópsia”, explica Dra. Mariana.
 
Segundo ela, muitos casos de câncer de pulmão são identificados sem que o paciente apresente sintomas. “Eles são mapeados, sem querer, em exames de rotina. Quando isso acontece, e as opções de tratamentos e as chances de cura são maiores do que quando comparadas aos casos identificados por meio de sintomas.
 
Conforme revela a médica, por ser um vírus respiratório, o Sars-Cov-2, agente causador da COVID-19, impacta principalmente os pulmões -- em especial as células dos alvéolos, onde ocorre a troca de gases entre o pulmão e a corrente sanguínea. “Por ser uma doença nova, a Medicina ainda está descobrindo quais são as consequências causadas pelo coronavírus. mas sabe-se que se trata de uma doença com diversas apresentações e, por isso, todo cuidado é pouco no acompanhamento destas sequelas”, diz ela.

Dra. Mariana recomenda que os pacientes que superaram a COVID-19 visitem o médico especialista, pelo menos, uma vez após a infecção, para que tanto o achado de nódulos pulmonares quanto outras complicações recebam atenção adequada e previnam consequências ainda mais sérias.

 
 





 












Fechar


SnifBrasil é uma publicação

(11) 5533-5900 – dpm@dpm.srv.br
O conteúdo dos artigos assinados no site e no boletim SnifBrasil é de responsabilidade de cada um dos colaboradores. As opiniões neles impressas não refletem, necessariamente, a posição desta Editora.
Não é permitida a reprodução de textos, total ou parcial sem a expressa autorização da DPM.
Informações adicionais poderão ser solicitadas pelo e-mail editor@snifbrasil.com.br.
Qualquer problema, ou dificuldade de navegação poderá ser atendido pelo serviço de suporte SnifBrasil, pelo e-mail suporte@snifbrasil.com.br

Seu IP: 34.231.247.88 | CCBot/2.0 (https://commoncrawl.org/faq/)