Hora certa:
 

Notícias

Amgen promove campanha de conscientização sobre a osteoporose em 3 cidades no Brasil e tenta bater o recorde mundial de exames realizados em um dia

Em comemoração ao Dia das Mães, a Amgen se uniu a ABRASSO, a Osteoporose Brasil e ao Guinness World Records®, autoridade global em conquista de recordes, para um desafio que visa educar mulheres e seus familiares sobre a osteoporose pós-menopausa e bater o recorde mundial de número de testagens para determinar a tendência de desenvolver a osteoporose e o risco de fraturas relacionadas à doença.
 
O evento acontecerá no dia 5 de maio simultaneamente em dez países (Brasil, Canadá, México, Colômbia, Turquia, Líbano, África do Sul, Dubai, Arábia Saudita e Kuwait). No Brasil, as testagens acontecerão das 9h às 16h no prédio da FIESP, na Avenida Paulista, em São Paulo e das 8h às 17h na Concha Acústica, em Santos e na Praça o Serzedelo Correia, em Copacabana, no Rio de Janeiro. Os juízes oficiais do Guinness estarão presentes nos locais dos eventos para acompanhar e validar os números.
 
“Nós da Amgen estamos comprometidos em aumentar o conhecimento sobre essa doença silenciosa, suas causas, consequências e prevenção. E é por isso que estamos desenvolvendo essa iniciativa global. Para nós, os ossos de todas as pessoas são importantes e estamos engajados em contribuir com a sociedade levando informação e prevenção às pessoas, em especial as mães, uma vez que a doença tem alta incidência entre as mulheres a partir dos 50 anos de idade”, diz Mauro Loch, Gerente Geral da Amgen Brasil. “Por este motivo, a Amgen quer bater o recorde mundial para o maior número de testagens de uma campanha de conscientização da osteoporose em 24 horas. O objetivo é testar no mínimo 3 mil pessoas em dez países.”
 
 Durante a vida de uma mulher o estrógeno tem um papel importante para manter os ossos saudáveis. Na menopausa o corpo produz este hormônio em menor quantidade, contribuindo para o aparecimento da osteoporose, uma doença silenciosa que enfraquece os ossos e os tornam mais suscetíveis à fraturas, que podem limitar os movimentos e, às vezes, até levar a morte1,2.
 
Estima-se que 200 milhões de pessoas em todo mundo tenham osteoporose. Uma a cada três mulheres com mais de 50 anos sofrerão uma fratura ao longo da vida2.
Dados da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) mostram que, dez milhões de brasileiros sofrem de osteoporose, a cada ano ocorrem cerca de 2,4 milhões de fraturas decorrentes da doença e 200 mil pessoas morrem todos os anos no país como reflexo destas fraturas3.
 
“A osteoporose não tem sintomas e o que parece ser uma pequena fratura no pulso, por exemplo, pode anunciar que problemas mais graves e debilitantes estão a caminho, como fraturas no fêmur, quadril e lombar. Dependendo do tipo e da gravidade da fratura é comum o paciente ter a mobilidade reduzida ou ficar acamado. Campanhas como essa são muito importantes para ampliar o conhecimento em relação à osteoporose e incentivar testagens para diagnosticar a doença e iniciar o tratamento adequado, diminuindo os riscos de fratura”, diz Dr. Charlles Heldan de Moura Castro, presidente da Associação Brasileira de Avaliação Óssea e Osteometabolismo - ABRASSO.
 
Serviço:
São Paulo
Das 9h às 16h
FIESP
Av. Paulista, 1313 - Jardins
 
Santos
Das 8h às 17h
Concha Acústica – Canal 3
Av. Vicente de Carvalho, 0 - Gonzaga, Santos
 
Rio de Janeiro
Das 8h às 17h
Praça Serzedelo Correia - Copacabana

Referências
__________________________________
1. National Osteoporosis Foundation. What women need to know. https://www.nof.org/preventing-fractures/general-facts/what-women-need-to-know, Acesso em 20/03/2019.
2. International Osteoporosis Foundation. What is osteoporosis? https://www.iofbonehealth.org/what-is-osteoporosis
, Acesso em 20/03/2019.
3. SBEM – Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia. https://www.endocrino.org.br/10-coisas-que-voce-precisa-saber-sobre-osteoporose/ - Acesso em: 20/03/2019
 

 
 












Fechar


SnifBrasil é uma publicação

(11) 5533-5900 – dpm@dpm.srv.br
O conteúdo dos artigos assinados no site e no boletim SnifBrasil é de responsabilidade de cada um dos colaboradores. As opiniões neles impressas não refletem, necessariamente, a posição desta Editora.
Não é permitida a reprodução de textos, total ou parcial sem a expressa autorização da DPM.
Informações adicionais poderão ser solicitadas pelo e-mail editor@snifbrasil.com.br.
Qualquer problema, ou dificuldade de navegação poderá ser atendido pelo serviço de suporte SnifBrasil, pelo e-mail suporte@snifbrasil.com.br

Seu IP: 54.234.227.202 | CCBot/2.0 (https://commoncrawl.org/faq/)