Hora certa:
 

Notícias

Especialista alerta sobre aumento de casos de esteatose hepática

A Organização Mundial de Saúde (OMS) classifica a obesidade como um dos maiores problemas de saúde pública no mundo. A estimativa é que, em 2025, cerca de 2,3 bilhões de adultos apresentem sobrepeso, e mais de 700 milhões estejam obesos. No Brasil, algumas pesquisas mostram que mais de 50% da população está acima do peso e 80% dos pacientes com sobrepeso têm esteatose hepática, doença caracterizada pelo acúmulo de gordura no fígado.

O cirurgião gastroenterologista Dr. Marcos Belotto, membro da Sociedade Brasileira de Gastroenterologia, alerta sobre o aumento do número de pacientes que se tornam cirróticos por indução da esteatose hepática. "O acúmulo de gordura nas células do fígado pode gerar um processo inflamatório que ocasiona a morte dessas células e o fígado começa a apresentar fibrose. Isso significa que a esteatose hepática evoluiu para esteato-hepatite. Este estágio é bem mais preocupante, pois sem tratamento adequado e rigoroso, o quadro progride para a cirrose hepática ou câncer de fígado".

O especialista explica que, no Brasil, a cirrose hepática é um problema de saúde grave que pode levar a óbito, uma vez que o único tratamento é o transplante e a fila de espera é muito grande.

Belotto ainda destaca que a esteatose hepática é uma doença silenciosa, sem sintomas e basicamente tem quatro graus. "Os hábitos alimentares dos brasileiros estão cada vez mais parecidos com os da população americana. Nos Estados Unidos, entre 60 e 70% dos americanos possuem algum grau de esteatose hepática. Para reverter o quadro ou evitar a patologia é necessário controlar o colesterol alto e a glicemia, adotando um estilo de vida saudável, incluindo alimentação equilibrada e atividade física. Esta é única maneira de desinflamar as células, não existe medicamento específico", esclarece.

De acordo com Dr. Marcos, carboidratos brancos, gorduras e o açúcar são alimentos que devem ser evitados. A patologia atinge pessoas de qualquer faixa etária. No entanto, a maior incidência ocorre entre os pacientes acima dos 30 anos, pois nesta fase da vida há aumento do nível de colesterol e do açúcar no sangue devido ao envelhecimento.

O diagnóstico da doença é feito através de exames de imagem e laboratoriais. Além da obesidade, outras condições podem desencadear a esteatose hepática como, consumo de álcool, diabetes mellitus e fatores genéticos. 












Fechar


SnifBrasil é uma publicação

(11) 5533-5900 – dpm@dpm.srv.br
O conteúdo dos artigos assinados no site e no boletim SnifBrasil é de responsabilidade de cada um dos colaboradores. As opiniões neles impressas não refletem, necessariamente, a posição desta Editora.
Não é permitida a reprodução de textos, total ou parcial sem a expressa autorização da DPM.
Informações adicionais poderão ser solicitadas pelo e-mail editor@snifbrasil.com.br.
Qualquer problema, ou dificuldade de navegação poderá ser atendido pelo serviço de suporte SnifBrasil, pelo e-mail suporte@snifbrasil.com.br

Seu IP: 3.239.233.139 | CCBot/2.0 (https://commoncrawl.org/faq/)