Hora certa:
 

Notícias

Bio-Manguinhos/Fiocruz assina PDP para rituximabe biossimilar com Sandoz e Bionovis

O Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos da Fundação Oswaldo Cruz (Bio-Manguinhos/Fiocruz) assinou Parceria para o Desenvolvimento Produtivo (PDP) com a Sandoz (Grupo Novartis) e a Bionovis para a incorporação do rituximabe biossimilar, anticorpo monoclonal indicado para o tratamento de linfoma não-Hodgkin, leucemia linfocítica crônica e para doenças imunológicas, como artrite reumatoide.
 
Através da PDP, Bio-Manguinhos/Fiocruz, em parceria com a Bionovis, receberá a tecnologia da Sandoz e incorporará o novo biossimilar ao seu portfólio. Versões subsequentes de medicamentos biológicos cujas patentes expiraram, os biossimilares representam possibilidade de redução nos gastos e um aumento do número de pacientes atendidos com tratamento de qualidade e eficácia pelo Sistema Único de Saúde (SUS), racionalizando o uso dos recursos do Ministério da Saúde.
 
“Bio-Manguinhos entende que, devido às condições epidemiológicas, o aumento das terapias utilizando medicamentos biológicos é uma realidade. A absorção da tecnologia do rituximabe possibilitará a ampliação do seu acesso à população, assim como a autossuficiência na produção de um medicamento estratégico para o Brasil. Com a PDP, poderemos iniciar o fornecimento ao SUS ainda em 2020”, afirmou o diretor de Bio-Manguinhos, Mauricio Zuma.
 
Para Marcelo Belapolsky, diretor-geral da Sandoz no Brasil, estabelecer parcerias em biossimilares é fundamental para contribuir com a sustentabilidade do sistema de saúde. “Somos a empresa com o maior portfólio de biossimilares no mundo, com oito moléculas comercializadas e mais duas sendo desenvolvidas. A PDP é uma oportunidade para compartilhar nossa expertise em território nacional, fortalecendo o SUS e promovendo acesso à população”.
 
“Esse projeto de transferência de tecnologia trará ganhos para o Brasil e os brasileiros, que terão um medicamento estratégico e de alto nível à disposição na rede pública”, comentou o CEO da Bionovis, Odnir Finotti.
 
O anticorpo monoclonal é indicado para tratamento de linfoma não-Hodgkin (linfoma folicular e linfoma difuso de grandes células B) e leucemia linfocítica crônica, e para doenças imunológicas, como artrite reumatoide, granulomatose com poliangiite e poliangiite microscópica.
 
 












Fechar


SnifBrasil é uma publicação

(11) 5533-5900 – dpm@dpm.srv.br
O conteúdo dos artigos assinados no site e no boletim SnifBrasil é de responsabilidade de cada um dos colaboradores. As opiniões neles impressas não refletem, necessariamente, a posição desta Editora.
Não é permitida a reprodução de textos, total ou parcial sem a expressa autorização da DPM.
Informações adicionais poderão ser solicitadas pelo e-mail editor@snifbrasil.com.br.
Qualquer problema, ou dificuldade de navegação poderá ser atendido pelo serviço de suporte SnifBrasil, pelo e-mail suporte@snifbrasil.com.br

Seu IP: 34.239.172.52 | CCBot/2.0 (https://commoncrawl.org/faq/)